Experiência: Cruzeiro marítimo

Neste glorioso retorno das atividades do Diversificando-se, a equipe de uma pessoa chega para registrar as impressões das últimas férias.

Melhores férias do mundo

A Escolha

Depois de anos de trabalho e de duas férias sem viajar, nesse ano consegui tempo para programar as tais férias dos sonhos. Confesso que nunca havia feito nenhuma grande viagem e a ideia de praticidade de um cruzeiro foi o que mais chamou atenção.

Decididos que embarcaríamos nessa jornada, eu e meu namorado (melhor amigo, muso inspirador, companheiro, etc…) contratamos com uma agência um roteiro de 7 noites, saindo do porto de Santos, com paradas em Itajaí (Santa Catarina), Montevidéu (Uruguai) e Buenos Aires (Argentina). A companhia escolhida foi a Pullmantur, uma porque já tínhamos boas referências da empresa, outra, porque era o que melhor se encaixava nos nossos interesses de datas e roteiros.

Antes do embarque

No nosso caso, por praticidade, optamos por levar como documento nossos RGs, pois estavam em bom estado e dentro da validade (lembrando que para entrar em países do Mercosul não é necessário passaporte). Se você for fazer uma viagem do tipo, não esqueça de checar os documentos com ANTECEDÊNCIA, para evitar transtornos.

Cerca de três dias antes do nosso embarque, retiramos o voucher da viagem na agência. Nele estavam informações importantes como o número do localizador (para o momento do check in), dados dos passageiros, da cabine, informações gerais sobre a viagem e algumas dicas.

Na hora de fazer as malas, surgiram muitas algumas dúvidas. Que roupa levar!? E dinheiro!? Dolar ou Real!? E a tal da noite de gala!?

Como fomos em época de verão, levamos muitas peças leves como bermudas, camisetas e vestidos. Mas, como é sempre bom prevenir, levamos uma calça e uma jaqueta, vai que o tempo muda (e mudou…). Nos textos do site da companhia, eles informam a respeito da noite de gala. Optamos por algo formal, mas nada além de uma calça social e camisa para o Lucas (namorado) e um vestido longo para mim.

Em termos de dinheiro, levamos uma parte em dólar e outra em reais. Optamos por não levar pesos (uruguaios e argentinos). Dentro do navio se utiliza o dólar americano e, por onde passamos nas paradas, conseguimos fazer o câmbio para a moeda local.

No dia do embarque o porto estava lotado. Além do nosso, outros dois navios estavam de saída, então imagine a multidão. O check in, apesar de demorado, foi bem organizado. Na hora de despachar as malas você recebe uma senha que vai te acompanhar durante todo o processo até o embarque. Em seguida seguimos para o saguão de check in e aguardamos, aguardamos, aguardamos…

Como levamos o RG, tivemos que preencher a “Tarjeta Migratoria Argentina”, duas vias cada. Não é nenhuma coisa absurda e os funcionários da companhia estavam à disposição para esclarecer as dúvidas. Quando finalmente chegou nossa vez, foi apresentar os documentos, tirar as fotos de identificação e pegar os cartões da cabine. Os RGs ficam retidos e você recebe um comprovante para poder retirá-los no final do cruzeiro. Finalizado o check in,  era só aguardar o embarque e começar a melhor semana da minha vida.

No navio

Quando chegamos na cabine, as malas já nos aguardavam na porta. Nossa cabine era interna (sem janela) com uma cama de casal (duas de solteiro juntas), um armário com cofre, penteadeira, secador de cabelo, banheiro e televisão. Não era a maior do mundo, mas supria nossas necessidades e era extremamente confortável e funcional.

Nossa cabine

O navio em si era lindo e a tripulação super simpática e prestativa. No total eram 11 decks: 1 – tripulação; 2 – entrada e saída do navio; 3 – cabines; 4 – cabines e restaurante; 5 – restaurante, cassino, galeria de fotos, recepção, bar, sala de espetáculos; 6 – salão de eventos, cassino, loja, sala de espetáculos; 7 – cabines e área de internet; 8 – cabines (a nossa) e sala de cartas ; 9 – cabines e sala de leitura; 10 – buffet, piscina, discoteca, parede de escalada, spa; 11- academia. No começo a gente se perde muito um pouco, mas acostuma.

O buffet tinha horários definidos para servir café da manhã e almoço, mas você pode ir a qualquer momento dentro desse horário. Nos intervalos, massas, pizzas, lanches e frutas ficam à disposição.  Para o jantar no restaurante a la carte, você deve se apresentar no horário determinado (vem impresso no cartão da cabine). Sua mesa será sempre a mesma e os garçons que te servirão, também. O mais legal é que em todas as refeições você encontra opção vegetariana e diet. Quanto as bebidas, não vimos necessidade nenhuma em contratar a carta premium, pois tudo que consumíamos (refrigerante, sucos, chás, cafés, drinks tropicais e cerveja) estava no pacote all inclusive.

Em todos os dias do cruzeiro existia uma programação de shows, eventos e atividades. Tudo vem relacionado no “diário de bordo”, uma espécie de jornalzinho que os camareiros deixam na cabine na noite anterior.

Sala de espetáculos

Sala de Espetáculos

Paradas e Excursões

Como disse anteriormente, nosso navio fez o roteiro Santos – Itajaí – Montevidéu – Buenos Aires – Santos. Optamos por contratar excursão com a equipe do cruzeiro para Montevidéu e Buenos Aires, uma vez que não conhecíamos praticamente nada dos lugares. Os passeios foram ótimos, muito bem organizados e não tínhamos a preocupação em perder a hora de reembarcar. É obrigatório, independente de excursão ou não, levar o cartão da cabine de cada pessoa, pois ele serve como sua identidade.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

As guias das excursões eram nativas das cidades e nos deram ótimas dicas sobre compras, câmbio e etc. Os dois passeios que escolhemos eram os mais baratos (cerca de US$38 por pessoa) e tinham duração de 4 horas. Certo que não dá pra conhecer a cidade em pouco tempo, mas foi uma experiência muito válida.

Fim da viagem e desembarque

Na última noite do cruzeiro, recebemos uma etiqueta cinza (a cor varia de acordo com o deck) para identificação das malas e o documento de declaração de bens da receita. Arrumamos tudo e deixamos as maiores na porta da cabine. Ficamos apenas com uma troca de roupa e as bagagens de mão, com os bens de valor e documentos. Os RGs a gente pegou de volta na noite da última parada.

Tivemos que deixar a cabine às 08h. Passamos os momentos finais no buffet, curtindo o último café da manhã e aguardamos o desembarque que era feito de acordo com as cores das etiquetas de bagagem.

Quando chegamos no porto, recuperamos nosso bens e voltamos para o ABC.

Dicas e impressões finais

Gente, não é lenda: o mareio existe e a gente passou bem mal em dois dias de mar agitado. Nessas horas, vale comer uma maçã verde e evitar ingerir muito líquido.

A equipe do navio promove palestras sobre as excursões e procedimentos de desembarque. As informações sempre estarão no diário de bordo.

Na noite de gala, existem pessoas muito chiques e outras bem simples, então não tivemos problemas.

As fotos que a equipe do navio tirava eram bem salgadas (em torno de US$ 12 cada)!

A experiência do cruzeiro é maravilhosa. Acho que se o seu intuito é descansar e aproveitar a comodidade de ter tudo a disposição, é a melhor opção. E nós não tivemos praticamente nenhuma reclamação a fazer da Pullmantur como um todo.

Se você se interessou, pretende fazer uma viagem, ficou com alguma dúvida que eu possa ajudar, é só deixar um comentário ai embaixo.

É isso! Beijos e Diversifiquem-se!

Anúncios